A Rede Eclesial Pan-Amazônica (REPAM-Brasil) vai realizar com o apoio da Comissão Episcopal para a Amazônia e Igreja e Mineração, entre 16 a 19 de agosto de 2017, no Centro Cultural Missionário (CCM), em Brasília (DF), o encontro sobre Ecoteologia (16 e 17), em seguida (18 e 19) a reunião preparatória para o Seminário Geral Laudato Sí, que vai ser realizado entre 17 a 19 de novembro de 2017. No decorrer de 2016/2017 foram realizados na Amazônia Legal, nos Regionais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), 16 Seminários sobre a Encíclica, do papa Francisco, Laudato Sì.

   Participarão do encontro ecotelogico e reunião, aproximadamente 30 pessoas, entre representantes dos Regionais da CNBB onde a REPAM realizou os Seminários, equipe de assessoria e pessoas convidadas. “A ideia é que possamos garantir tempo para as trocas e intercâmbios horizontais entre os presentes, tanto quanto a escuta de reflexões mais sistemáticas”, ressalta Moema Miranda, Teóloga, Antropóloga, assessora da REPAM-Brasil.

   No encontro sobre Ecoteologia haverá três mesas de debates, seguidas de trabalhos em grupo para aprofundamento e discussão em plenário. Há também a proposta de um roteiro espiritual, integrando todo o encontro.

   Segundo Moema Miranda, que está na organização do encontro sobre Ecoteologia, o mesmo deve ter uma harmonia entre a “escuta e diálogo das dinâmicas pastorais que, em suas práticas cotidianas, nas lutas concretas, desenvolvem uma perspectiva ecoteológica e os que refletem e elaboram sobre teologia, e assim propor um percurso místico espiritual que transforme o encontro em uma experiência de prática, reflexão e oração”, sugere.

   A programação do encontro se inicia dia 16/08 às 8 horas, com a apresentação dos participantes, a proposta do encontro e um momento de espiritualidade.  A primeira mesa de debate será: Alcances e limites da Laudato Sì à luz da ecoteologia no Brasil com a participação de Afonso Murad, Teólogo, professor da Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia (FAJE) e do Instituto Santo Tomás de Aquino (ISTA); Márcia Maria de Oliveira, Teóloga e Socióloga, professora da Universidade Federal de Rondônia (UNIR);  Luiz Carlos Susin, Teólogo e professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) e Tea Frigerio, do Centro de Estudos Bíblicos (CEBI).

   A segunda mesa será: Experiências pastorais de ecoteologia à luz da Laudato Si”, composta por Gilberto Vieira dos Santos (Giba), Secretário-adjunto do Conselho Indigenista Missionário (Cimi); Rubem Siqueira, Coordenador Nacional da Comissão Pastoral da Terra (CPT) e Luiz Cláudio Lopes da Silva (Mandela), Diretor-executivo da Cáritas Nacional. A mesa será concluída com debate em grupos e plenária. E assim finalizando o dia com uma mística.

   As discussões do dia 17/08 se iniciam às 8h30 com a mesa: “Ecoteologia na Amazônia – as experiências dos Povos Ameríndios com a Terra Sem Males, Sumak kawsay e o Bem Viver”, com Ricardo Gonçalves Castro, professor da Faculdade Salesiana Dom Bosco (FSDB) e do Instituto de Teologia Pastoral e Ensino Superior da Amazônia (ITEPES-Amazonia); Iraildes Caldas Torres, professora da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e Raimundo Vanthuy Neto,  professor do ITEPES-Roraima.

   A mesa seguinte será sobre “Mineração e Ecoteologia” com Sandro Gallazzi, do Centro Ecumênico de Serviços à Evangelização e Educação Popular (CESEEP) e Centro de Estudos Bíblicos (CEBI); Marcelo Barros, Assessor das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) e Coordenador da Associação Ecumênica de Teólogos/as do Terceiro Mundo (ASETT) e Dário Bossi, da Igreja e Mineração e assessor da REPAM-Brasil.

   Por fim serão realizados os encaminhamentos para a proposta final do encontro. “A proposta é que este encontro seja um momento inicial, que se desdobre na continuidade do trabalho da REPAM-Brasil e entidades parceiras, fortalecendo nossa caminhada, estimulando nosso compromisso com a Terra, com todas as suas filhas e seus filhos, humanos e não humanos, aumentando nossa fé encarnada no Deus da Vida, morto e Ressuscitado”, finaliza Moema Miranda.