Na próxima quinta-feira, 28 de setembro de 2017, às 14 horas, no Centro Cultural Missionário, em Brasília (DF), a Comissão Pastoral da Terra (CPT), como o apoio da Comissão Episcopal para a Amazônia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e da Rede Eclesial Pan-Amazônica (REPAM), vai lançar o “Atlas de Conflitos na Amazônia”.

A publicação é uma iniciativa da Articulação das CPT’s da Amazônia, com o objetivo de visibilizar, principalmente através de mapas, os conflitos no campo presentes nos nove estados que formam a Amazônia Legal: Acre, Amapá, Amazonas, Tocantins, Pará, Rondônia, Roraima e partes dos estados de Maranhão e Mato Grosso.

O lançamento acontecerá durante Encontro sobre a Mercantilização da Natureza e a problemática de Redução de Emissões provenientes de Desmatamento e Degradação (REED), que está se realizando entre 25 e 29 de setembro no mesmo local, com agentes da Pastoral da Terra e trabalhadores e trabalhadoras do campo.

 

Mapeamento sistemático de áreas em disputa na Amazônia

A Amazônia tem destaque no aumento da violência no campo no Brasil nos últimos anos. Em 2016, foram registrados 61 assassinatos por conflitos no campo no país, sendo que 48 destes assassinatos ocorreram na Amazônia Legal. Neste ano de 2017, já foram registrados 63 assassinatos em conflitos no campo, até o momento, sendo 49 na região.

Os dados acima são disponibilizados anualmente pela Comissão Pastoral da Terra na publicação impressa e digital “Conflitos no Campo Brasil”. Já o “Atlas de Conflitos na Amazônia” tem uma proposta metodológica diferente, pois mostra os conflitos que permaneceram vigentes nos últimos anos nesta região.

A partir de um alinhamento técnico com o Centro de Documentação Dom Tomás Balduino, da CPT, e com a assessoria do geógrafo e professor da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes-MG), Gustavo Ferreira Cepolini, cada regional da CPT contribuiu no levantamento dos dados para o Atlas, registrando detalhes como: municípios onde o conflito estava localizado, nome da comunidade, número de famílias impactadas, identidade (posseiros, sem terra, indígenas, quilombolas etc.), com quem disputavam seus territórios, e outros.

 

Serviço:

Lançamento do Atlas de Conflitos na Amazônia

Quando: 28 de setembro (quinta-feira), ás 14h.

Onde: Centro Cultural Missionário (CCM) – Sgan, 905 – Conjunto C – Asa Norte – 0790-050 – Brasília (DF).

 

Composição da mesa:

Dom  Leonardo Ulrich Steiner – secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB)

Felício  Pontes Junior – procurador Ministério Público Federal (MPF), atua nos feitos cíveis relativos à defesa dos direitos e interesses das populações indígenas e  comunidades tradicionais

Manuel  Cardeal – representante do Seringal Itatinga, munícipio de Manoel Urbano, Acre e ameaçado pelo projeto de Redução de Emissões provenientes de Desmatamento e Degradação (REED)

Darlene Braga – representante da articulação da Comissão Pastoral da Terra (CPTs) Amazônia.

Gilberto Vieira dos Santos (Giba) – secretário-adjunto do Conselho Indigenista Missionário (Cimi).

Gustavo Henrique Cepolini Ferreira – Mestre e Doutorando em Geografia Humana e assessor do "Atlas de Conflitos na Amazônia"

 

Outras informações:

Cristiane Passos (CPT) – (62) 4008-6406 / 99268-6837

João Damasio (CPT) – (62) 4008-6412 / 99143-8923

Osnilda Lima (REPAM) – (61) 98366-1235