Começa amanhã, quinta-feira, a reunião do Conselho pré-sinodal que colabora na preparação do encontro que acontecerá em outubro de 2019. Em Roma, cardeais, bispos, padres, religiosos e leigos, discutem os próximos passos do processo de construção do Sínodo para a Amazônia.

“Amazônia: novos caminhos para a Igreja e por uma ecologia integral" é o título do encontro proposto pelo papa Francisco para discutir novos caminhos de evangelização na região da Panamazônia, bem como as questões ambientais. Nessa primeira reunião, especialistas convidados pelo Conselho pré-sinodal apresentam o material preparado por eles que servirá de base para a consulta às comunidades sobre questões que devem ser discutidas no Sínodo.

De acordo com Ir. Irene Lopes, delegada da Delegada da Confederação Latino-Americana e Caribenha de Religiosos e Religiosas (CLAR), assessora da Comissão Episcopal para a Amazônia/CEA da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil/CNBB e secretária executiva da Rede Eclesial Panamazônica/REPAM-Brasil, o trabalho é árduo, mas a equipe está bastante empenhada em tornar o material acessível para as bases. “Queremos que ele seja estudado e refletido, que tenha o rosto da amazônia e que ajude as bases a contribuírem com o Sínodo”, afirmou a religiosa. Para Ir. Irene, é uma responsabilidade grande o trabalho do Conselho, pois precisa, nesse processo todo, levar em consideração as diferentes realidades da Amazônia. “Temos que pensar lá no ribeirinho e no quilombola”, completou Lopes. A reunião, em Roma, segue até sexta-feira e contará com a presença do papa Francisco.

Os brasileiros que participam da reunião, como membros do Conselho pré-sinodal, são: Cardeal Cláudio Hummes, arcebispo emérito de São Paulo/SP, presidente da Rede Eclesial Pan-Amazônica (REPAM-Brasil) e presidente da Comissão Episcopal para a Amazônia/CEA da CNBB; Dom Roque Paloschi, Arcebispo de Porto Velho/ RO; Dom Neri José Tondello, Bispo de Juína/MT; Dom Erwin Kräutler, Prelado emérito do Xingu/PA e a religiosa Irmã Maria Irene Lopes dos Santos. Entre os especialistas que contribuem na preparação do material do Sínodo, os brasileiros são: Paulo Suess, Teólogo, professor do Instituto São Paulo de Ensino Superior (ITESP) e assessor da REPAM-Brasil, Márcia Oliveira, Doutora em Sociedade e Cultura na Amazônia e assessora da REPAM-Brasil e Padre Justino Sarmento Rezende, indígena do povo Tuyuka, de São Gabriel da Cachoeira/AM.