A cidade de Puerto Maldonado, no Peru, tem se tornado nestes dias num ponto onde convergem todos os caminhos e todos os viajantes. Jornalistas peruanos e de muitos países dos cinco continentes, moradores da Amazônia peruana e dos países próximos como a Bolívia e o Brasil; peruanos de outras regiões que querem fazer turismo e ver o papa e, além, ilustres visitantes como o cardeal brasileiro Cláudio Hummes, presidente da Rede Eclesial Pan-Amazônica (Repam), Mauricio López, Secretário Executivo da Rede, Irmã Irene Lopes, Assessora da Repam-Brasil e Dom Pedro Barreto, arcebispo de Huancayo, um dos impulsores da Repam quando trabalhou como no Departamento de Justiça e Solidariedade do  Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam). A Repam é uma rede da Igreja nos países que têm Amazônia; foi criada em 2014 com a finalidade de se colocar ao serviço dos povos indígenas, e procura lutar em defesa de seus saberes ancestrais, de seus territórios e de seu direito numa participação efetiva nas decisões que se tomam em relação com sua vida e seu futuro.

Os dias 17 e 18 em preparação da visita do papa haverá duas grandes reuniões. No 17 vai ter um programa de atividades que vai reunir todos os membros do Vicariato e que vai ter como conteúdo a reflexão sobre a exortação apostólica "A Alegria do Evangelho" contextualizando-a na realidade dessa jurisdição eclesiástica. Vai se iniciar com uma reflexão de todos os participantes para logo após passar para trabalhos dos grupos segundo cada pastoral: grupo indígena, grupo camponês, grupo de religiosidade popular, grupo de jovens e o grupo urbano. O que se busca é que o documento que ilumine o Plano Pastoral de Puerto Maldonado no próximo ano. Se espera a participação de mais de 700 pessoas para esta jornada de reflexão pastoral.

No dia 18 de janeiro representantes dos vicariatos amazônicos de nove países vão se encontrar na cidade de Puerto Maldonado, Peru, num encontro que terá como centro a encíclica Laudato Si, que publicou o Papa em 2015. Outro ponto importante que vai ser abordado será o Sínodo Pan-Amazônico, assembleia de bispos convocado pelo Santo Padre e que vai acontecer em 2019. Para tratar desses temas vai ter a participação de representantes dos oito vicariatos da selva peruana, além de seus iguais dos demais países amazônicos. O encontro vai começar com um breve discurso do cardeal Cláudio Hummes, Presidente da Repam. Logo após vai ser a vez de Mauricio López, seu Secretário-Executivo, e posteriormente de Dom David Martínez de Aguirre, bispo do Vicariato Apostólico de Puerto Maldonado. Para esse encontro vai se contar como convidados com centenas de representantes dos povos indígenas tanto do Peru como de países vizinhos. Calcula-se uma assistência de mais ou menos duas mil e quinhentas pessoas. Se espera também a presença do cardeal Lorenzo Baldisseri Secretário do Sínodo dos Bispos, que vem desde Roma para conversar com os bispos e o papa sobre o sínodo Pan-Amazónico.
No dia 18 de janeiro às 18 horas tem se programado uma vigília como ato prévio da visita do Papa Francisco na cidade de Puerto Maldonado. O Local é a Praça de Armas. Haverá concerto de música, danças e uma procissão.